menu
06/10/17 - Por: IBIO

Conheça o Rio Vivo

foto selecionada

Recuperação ambiental da bacia do Rio Doce. Esse é o objetivo do programa Rio Vivo, iniciativa dos Comitês de Bacia Hidrográfica do Rio Doce que conta com o apoio técnico do IBIO. Com recursos da cobrança pelo uso da água, a ação contempla três programas previstos no Plano Integrado de Recursos Hídricos da Bacia do rio Doce (PIRH-Doce): Controle de Atividades Geradoras de Sedimentos (P12), Expansão do Saneamento Rural (P42) e Recomposição de APPs e Nascentes (P52). Nessa primeira fase, a expectativa é de que sejam investidos aproximadamente R$ 3,1 milhões, pelo CBH-Piranga; R$ 3,6 milhões, pelo CBH-Piracicaba e R$ 2,7 milhões pelo CBH-Santo Antônio.

Etapas

Durante a primeira etapa, realizada em 2016, foi aberto um edital de chamamento público para seleção dos municípios a serem contemplados, seguido do levantamento de pontos de captação de água para abastecimento público e dos limites das microbacias de contribuição.

Para a segunda etapa, através de ato convocatório, duas empresas especializadas foram contratadas para realização do planejamento das atividades que serão contempladas: mobilização social e educação ambiental; cadastro Ambiental Rural (CAR); diagnóstico dos imóveis rurais e projetos de adequação ambiental.

Por fim, a terceira e última etapa do programa está prevista para 2018, com a implantação dos projetos de recuperação de nascentes, barraginhas, caixas secas, sistemas de tratamento de esgoto e água, e monitoramento.

Um dos principais beneficiados pelo Rio Vivo será o produtor rural, que terá apoio na adequação de seu imóvel ao Novo Código Florestal (Lei Federal nº12.651/2012),  envolvimento em iniciativas de Educação Ambiental, além de, receber apoio na implantação de tecnologias  de infiltração e armazenamento de água em sua propriedade

Municípios contemplados

Na Bacia Hidrográfica do Rio Piranga serão contempladas propriedades rurais nos municípios de Ressaquinha, Desterro do Melo, Barra Longa, Ponte Nova, Oratórios, Amparo do Serra, Piranga, Viçosa, Guaraciaba, Presidente Bernardes, Paula Cândido, Cajuri e parte do município de Mariana.

Na Bacia Hidrográfica do Rio Piracicaba/MG participarão das intervenções imóveis rurais dos municípios de Catas Altas, Santa Bárbara, Barão de Cocais, Bom Jesus do Amparo, São Gonçalo do Rio Abaixo, Rio Piracicaba, João Monlevade, São Domingos do Prata, Bela Vista de Minas, Nova Era, Itabira, Alvinópolis, Antônio Dias, Jaguaraçu, Marliéria, Timóteo, Coronel Fabriciano, Ipatinga, Santana do Paraíso e parte do município de Mariana.

Por fim, no território da Bacia do Rio Santo Antônio serão contemplados proprietários dos municípios de Serro, Alvorada de Minas, Conceição do Mato Dentro, Dom Joaquim, Morro do Pilar, Senhora do Porto, Itambé do Mato Dentro, Passabém, Carmésia, Dores de Guanhães, Ferros, Santo Antônio do Rio Abaixo e São Sebastião do Rio Preto.

Espera-se que a concretização do Rio Vivo resulte na revitalização e proteção dos corpos d’água, aumento da quantidade  e melhoria da qualidade da água nas bacias contempladas, além de promover o aumento da infiltração e armazenamento das águas de chuva no solo e controle do carreamento de sedimentos para corpos d’água. São resultados de longo prazo que possibilitarão o aumento do potencial produtivo das propriedades rurais, pois a qualidade ambiental e produção agropecuária estão diretamente relacionadas. Práticas produtivas sustentáveis são essenciais para a conquista e manutenção dos resultados esperados do Rio Vivo.

© 2016 IBIO - Todos os Direitos Reservados